Iande - Arte com Historia

Iandé Arte com História

a arte do Brasil feita em
comunidades tradicionais
localize-se> Página Inicial> Cadastro> Boletim #21 - 07/abril/2007  

Boletim de Histórias - número 21

Índice

1. Introdução: O Fumo nas Lendas Indígenas
2. A criação do Mundo: uma história dos índios Tukano
3. A origem do Fumo: uma história dos índios Terena
4. Cachimbos dos índios Guarani
5. Atualizações no site

 

1. Introdução: O Fumo nas Lendas Indígenas

Há relatos do uso do tabaco entre os indígenas desde a chegada dos primeiros europeus ao continente americano. Os europeus registravam que os índios "bebiam fumo", pois o verbo "fumar" passou a ser utilizado só a partir do século XVII.

Alguns integrantes da expedição de Cristovão Colombo levaram o tabaco para a Europa e o gosto por seu uso se espalhou rapidamente.

O hábito de fumar folhas do tabaco (que são espécies diversas de plantas do gênero Nicotiana) já era bastante antigo entre alguns grupos indígenas, como atestam alguns cachimbos encontrados em escavações arqueológicas, porém predominava o uso religioso e ritual do fumo. A partir da Conquista, o uso do tabaco se espalhou rapidamente por todo o território americano. Grupos indígenas que não costumavam fumar passaram a fazê-lo. A finalidade do consumo do tabaco também se alterou, e os indígenas passaram a fumar mais no dia a dia para recreação e prazer, além do uso ritualístico.

Este boletim da Iandé traz duas histórias indígenas sobre o fumo.

 

Para saber mais:
- "Estimulantes e narcóticos", texto de John M. Cooper, publicado no livro "Suma Etnológica Brasileira: volume 1: Etnobiologia", editado por Darcy Ribeiro

- "Correntes de fumaça", texto de Gustavo Acioli Lopes, publicado na Revista de História da Biblioteca Nacional de março/2006

 

 

 

2. A Criação do Mundo: uma História dos índios Tukano

Os índios Tukano vivem na região noroeste do Amazonas, nas áreas do rio Uaupés. A história a seguir foi contada por índios Tukano do clã Ye'pârã-Oyé põ'ra.

 

Quando o mundo ainda não estava pronto já havia Imîkoho-yeki, o Avô do Mundo. Ele andava sozinho pelos lugares pensando em como ordenar o mundo.

Sem encontrar solução, ele foi à Casa do Céu. Lá acendeu um cigarro e ficou pensando. Foi então que da fumaça do cigarro surgiu uma mulher. Ela era Ye'pâ-masó, aquela que seria conhecida como a Avó do Mundo e do Surgimento.

O Avô do Mundo ficou contente e entregou à mulher os instrumentos de vida e surgimento que possuia: cigarro, cuias, um banco entre outras coisas. A Avó do Mundo, Ye'pâ-masó, desceu até a terra, no igarapé Posâya. Lá surgiram três bancos com os desenhos do banco da vida. Ela sentou-se e começou a fumar seu cigarro.

Da primeira baforada surgiram Imîkoho-masí e Ye'pa-masí. Os dois foram os primeiros a viver na terra e deram início a todos os homens que vieram depois.

 


banco, dos índios Tukano

 

Para saber mais:
- Isâ Yekisimia Masîke': O conhecimento dos nossos antepassados: Uma narrativa Oyé;
narradores Moisés Maia (Akîto) e Tiago Maia (Ki'mâro) - Coleção Narradores Indígenas do Rio Negro

 

 

3. A Origem do Fumo: uma História dos índios Terena

Um certo dia uma índia resolveu matar seu marido.

A mulher misturou seu sangue aos brotos de uma árvore e ofereceu para o marido comer. Ele comeu e ficou muito doente.

O índio estava para morrer quando descobriu que sua mulher o envenenara. Então ele foi à floresta, pegou um filhote de uma cobra e misturou com mel. Ao chegar em casa, sua esposa avançou no pote de mel e comeu muito dele. Depois de um tempo ficou com uma tremenda coceira.

A mulher ficou furiosa e correu atrás do marido para matá-lo. Ele fugiu e depois de muito tempo chegou a um buraco que havia cavado para apanhar caça. A mulher caiu na armadilha e morreu.

Depois de uns dias nasceu uma árvore de folhas amarelas sobre o túmulo da mulher. O homem secou as folhas, fez um cachimbo de barro e fumou pela primeira vez. O cheiro se espalhou pela aldeia. Os outros homens descobriram a árvore em que cresciam aquelas folhas e todos começaram a fumar a partir de então.


Para saber mais:
- Contos Indígenas Brasileiros, de Daniel Munduruku

 

 

4. Cachimbos dos índios Guarani

Para os índios Guarani o ato de fumar está profundamente ligado às praticas religiosas e espirituais. Eles produzem seus cachimbos, a que chamam petygwá, de maneira bastante artística e funcional. A seguir estão alguns destes cachimbos:

 


cachimbo de madeira,
índios Guarani - São Paulo

 



cachimbo de cerâmica,
índios Guarani - Rio Grande do Sul


 


cachimbo de madeira,
índios Guarani - Espírito Santo

 

 


cachimbo de madeira,
índios Guarani - São Paulo

 

 

 

5. Atualizações no site Iandé

 

A-) Foram acrescentadas dois cachimbos indígenas no Museu Iandé:

- Cachimbo em forma de Pássaro dos índios Ashaninka, do Acre

- Cachimbo dos índios Fulni-ô, de Pernambuco

 
 
Iandé - Casa das Culturas Indígenas : rua Augusta 1.371 , loja 07 - Galeria Ouro Velho - São Paulo
Horário de funcionamento:   segunda a sexta
das 9:00 às 17:30h
fone: (11) 3283.4924
email: iande@uol.com.br